Newsletter
Ao te inscreveres-te na nossa newsletter, serás o primeiro a ter acesso às nossas exposições, salas de visualização online, trabalhos disponíveis, eventos e muito mais.

    Notícias
    Evas, por Maria Durão

    A abertura da exposição individual “Evas”, de Maria Durão, será em 01 de Março, às 17 horas na
    KUBIKGALLERY.

    ‘Evas’ toma como ponto de partida uma coleção de livros herdados por Maria Durão após a morte da sua avó materna. Maria rasga, cola e risca as capas desses livros transformando-as nos objetos de contemplação que vemos agora em exposição. Do anterior conteúdo literário sobram palavras soltas. Palavras que murmuram a experiência no feminino das três gerações que separam as depositárias da biblioteca. Experiências de resiliência que, ao longo da história, persistem como feridas abertas na sociedade contemporânea.

    Entre substantivos comuns como ‘livro’, ‘lugar’ ou ‘fumo’, surge um nome próprio: Eva. O primeiro nome feminino na tradição judaico-cristã e também o símbolo do arquétipo inicial de submissão e rebelião. Segundo a Bíblia, apesar das advertências, Eva comeu o fruto da árvore do conhecimento e ofereceu-o a Adão, que a culpou pela sua falha para se proteger da ira de Deus, inaugurando assim uma posição sacrificial para todas as mulheres, que perdura até hoje.

    Os livros e a maçã atuam, então, como símbolos de acesso ao conhecimento, à autonomia e à emancipação. Cada obra de Maria Durão é uma cápsula do tempo que carrega em si, simultaneamente, vestígios de um passado repleto de restrições e de um presente expectante. Ao intervir sobre os livros a artista não só preserva a memória desses artefactos, mas ressignifica-os num ato de rebelião subtil contra as normas que silenciaram tantas vozes.

    Por Vera Carmo

    Maria Durão (Fão, 1999) vive e trabalha no Porto. Estudou Pintura na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, e desde então desenvolve o seu trabalho artístico nas áreas da pintura, colagem, fotografia e performance. O seu trabalho tem sido apresentado em feiras de arte como a Drawing Room Fair e a Feira Arco, em exposições colectivas – tais como The Body Borrows a Revolver (Casa das Artes / Sismógrafo) – e integra coleções como a Coleção da Câmara Municipal de Lisboa, Norlinda e José Lima, Fundação EDP e Fundação PLMJ.