Newsletter
Ao te inscreveres-te na nossa newsletter, serás o primeiro a ter acesso às nossas exposições, salas de visualização online, trabalhos disponíveis, eventos e muito mais.

    Segue os nossos artistas
    Ao te inscreveres-te na nossa newsletter, serás o primeiro a ter acesso às nossas exposições, salas de visualização online, trabalhos disponíveis, eventos e muito mais.


      Manoela Medeiros

      (1991, Rio de Janeiro, Brasil)

      Continente #1, 2020

      Fragmentos de paredes de ruínas abandonadas, gesso
      30 x 40 cm

      Ruína #1, 2020

      Técnica mista sobre tela
      80 x 60 cm

      Ruína #2 #3, 2020

      Técnica mista sobre tela
      80 x 60 cm

      Eclipse, 2020

      Concreto e escavação na parede
      117 x 27 cm

      Continente #3, 2020

      Fragmentos de paredes de ruínas abandonadas, gesso
      40 x 30 cm

      Continente #4, 2020

      Fragmentos de paredes de ruínas abandonadas, gesso
      40 x 30 cm

      Lever du soleil, 2020

      Gesso
      30 x 40 cm

      Ruína #4, 2020

      Técnica mista sobre tela
      116 x 81 cm

      Ruína #2, 2019

      Escavação e pintura em tela
      30 x 20 cm

      Natureza Morta, 2017 - 2019

      Gesso e fragmentos de parede
      30 x 21 cm

      Declíve, 2017

      Concreto e escavação na parede
      Dimensões Variáveis

      Indício de Paisagem, 2015

      Escavação na parede e luz solar
      Dimensões Variáveis

      Paisagem Limiar, 2015

      Escavação, fragmentos de parede e gesso
      400 x 300 cm

      Hiatos #2, 2015

      Gesso e escavação
      58 x 4,5 x 6cm l 98 x 4,5 x 6 cm l 160 x 4,5 x 6cm

      Ruin #7

      Pintura, escavação sobre tela                                                                                                          30 x 40 cm

      Biografia

      Vive entre Rio de Janeiro e Paris.

      A pesquisa desta artista abrange diferentes metodos, englobando a escultura, pintura, performance e instalação que articula as relações entre a linguagem, natureza e ruína. Manoela estudouno EAV Parque Lage (Rio de Janeiro, 2009 – 2015) e na École des Beaux Arts (Paris, 2012). Participa activamente em várias exposições e residências.

      Exposições individuais: Sourrondingworld, Kunsthal (Gent, 2019), Poeira Varrida, Fortes D’Aloia & Gabriel (São Paulo, 2017); Analogies Vivantes curadoria de Alicia Knock, Saint-Sévrin (Paris 2019), Falling Walls, Double V Gallery (Marseille, 2017), Instruções para construção de uma Ruína, Casamata (Rio de Janeiro, 2016).

      Exposições colectivas e prémios: Villa Noailles (Toulon, 2019), Espaces Témoins, Praz-Delavallade (Paris, 2018), Pipa Prize, MAM (Nominée, Brésil, 2018), Vivemos na melhor cidade da América do Sul, Fundação Iberê Camargo (Porto Alegre,2018), 67ème prix Jeune Création, addaeus Ropac (Pantin, 2017), 62ème Salon de Montrouge, Le Be roi (Montrouge, 2017); Hallstatt, Fortes D’Aloia & Gabriel (São Paulo, 2016); In Between, Bergamin & Gomide (São Paulo, 2016), 11o Abre Alas, A Gentil Carioca, (Rio de Janeiro, 2015); Quarta-feira de cinzas, EAV Parque Lage (Rio de Janeiro, 2015); Verbo, Vermelho (São Paulo, 2015). Among hers residencys: Cité Des Arts (Par- is, 2019-2018), Pivô (São Paulo, 2018), FAAP (São Paulo, 2017). É uma das co-fundadoras do espaço Átomos (Rio de Janeiro, Brazil).

      Exposições